Quer estar 100% preparado para a Redação da PUC-Rio?

Vem com a gente descobrir todas as dicas sobre como escrever uma boa redação no vestibular da PUC-Rio.

Última atualização em 

14/8/2020

Quer estar 100% preparado para a Redação da PUC-Rio?

Vem com a gente descobrir todas as dicas sobre como escrever uma boa redação no vestibular da PUC-Rio.

Última atualização em 

14/8/2020

Você vai fazer o Vestibular da PUC-Rio e quer se preparar para a Redação?

Boa escolha, você está no lugar certo! A produção textual sempre acaba sendo o temor de qualquer vestibulando, mas vamos te ajudar a se preparar para esse momento tão importante da sua vida. Vem com a gente!

Vamos começar falando de um dos assuntos mais polêmicos: o tema. A Redação da PUC-Rio tem um ponto muito positivo, nela existem três possíveis temáticas e você escolhe a que você preferir.

Essa escolha deve ser baseada em qual dos temas você vai saber desenvolver melhor, incluir mais exemplos interdisciplinares e conseguir iniciar e finalizar de maneira interessante. Os assuntos podem variar entre algo mais abstrato como “Felicidade” ou “Saudade” e algum tema mais polêmico e socialmente impactante.

A redação pode ser cobrada em diversos formatos, entre eles a Dissertação Argumentativa, Narração e Carta. Ou seja, você tem que estar devidamente preparado para qualquer um desses modelos. Parece muita coisa, né? Mas calma, vamos explicar melhor tudo isso!

Gif (imagem com movimento), de um homem vestindo uma camisa estampada e um lenço no pescoço. Ele está fazendo gestos e feições de desespero e, logo em seguida, sai de cena.

Primeiramente, vamos falar sobre o texto Dissertativo-Argumentativo.

Nele você terá que defender o seu ponto de vista através da argumentação. Esse tipo de texto tem uma estrutura bem rígida e é dividido em três partes fundamentais:

1 - INTRODUÇÃO:

Corresponde ao início da dissertação, a primeira frase desse parágrafo deve ser interessante e chamar a atenção do corretor. Além disso, você deve deixar claro qual assunto será abordado e qual tese (ponto de vista) será defendida.

2 - ARGUMENTAÇÃO:

São os parágrafos intermediários responsáveis por defender a tese (indicada na introdução) através de argumentos. Tudo deve ser conectado e mostrar uma linha de raciocínio com muita coerência. Utilize conectivos para interligar os parágrafos, faça citações e aplique os seus conhecimentos interdisciplinares.

3 - CONCLUSÃO:

Deve conter a finalização do seu texto, ou seja, uma conclusão que tenha associação com todos os parágrafos de argumentação e com o que foi dito na introdução. Também é interessante trazer alguma relação com o seu título escolhido, mostrando que tudo está relacionado. Ao contrário do ENEM, a PUC não exige pospostas de soluções/intervenção no final do texto.

Dicas para a escrita do texto dissertativo-argumentativo:
  • Cuidado com a fuga ao tema! O tema deve ser respeitado e deve existir um “limite” que, se ultrapassado, você vai estar falando de outro assunto que não foi o pedido no enunciado;
  • Não use gírias ou vocabulários informais demais;
  • O texto deve estar de acordo com a Norma Padrão da Língua Portuguesa;
  • Fique atento na coesão (ligação e harmonia entre os elementos do texto) e a coerência (se certificar de que tudo está fazendo sentido);
  • Não generalize argumentos e explicações;
  • Evite redundância e duplo sentido;
  • Aplique conhecimentos interdisciplinares ao citar escritores, filósofos, pensadores e artistas (isso mostra domínio de conteúdo, porém não exagere na quantidade de citações);
  • Não abuse dos pontos de exclamação e interrogação, isso pode deixar o texto informal e poluído;
  • Faça uma letra legível.

Jovem usando uma camisa de manga comprida amarela. Ela está escrevendo com uma caneta azul em seu caderno que está na superfície de uma mesa de madeira. A imagem dá foco na mão da jovem sem destacar a sua feição.

Agora, vamos te mostrar como construir uma Narração:

O objetivo principal é relatar uma história real, fictícia ou uma mistura de dados reais e imaginários. Como característica principal, o texto tem um narrador que apresenta os personagens e estes, por sua vez, atuam em um tempo e em um espaço determinados. Esse modelo textual é a base dos romances, novelas, contos, crônicas, fábulas, entre outros.

É importante que você saiba da existência dos três tipos diferentes de narradores:
  • Narrador-personagem: faz parte do enredo que ele próprio narra na 1ª pessoa;
  • Narrador-observador: constata os acontecimentos e os conta sem interagir com o enredo, que é contado em 3ª pessoa;
  • Narrador-onisciente: sabe de tudo o que acontece no enredo e está presente nas reflexões dos personagens. Também narrado em 3º pessoa.

Além do narrador, outros elementos da narrativa devem estar presentes no texto. São eles:
  • Tempo – espaço de tempo em que os eventos acontecem;
  • Espaço – ambiente no qual ocorre a história;
  • Enredo – acontecimentos em si, com começo, meio e fim;
  • Personagens – pessoas que fazem parte dos fatos narrados.

Jovem de, aproximadamente, 17 anos, usando uma blusa amarela, uma calça jeans, um óculos com armação transparente e uma mochila preta. Ela está escrevendo em seu caderno com uma caneta roxa.

E o texto tem algum “corpo” a ser seguido? Sim!
  • Introdução – apresenta os elementos mencionados acima como o tempo, espaço, enredo e personagens;
  • Trama – é a narração dos acontecimentos, é o momento no qual o texto é desenvolvido;
  • Clímax – um dos momentos mais importantes da narrativa, no qual acontece algo importante e inusitado, é quando os acontecimentos se alinham em direção ao desenlace;
  • Desenlace – finalização da narração, o momento em que a narrativa deve ser concluída com um desfecho.

Dicas para escrever uma Narrativa:

  • Mantenha uma coerência: seja coerente com todos os elementos da narração, certifique-se de que tudo está alinhado e faz sentido. Fatos desconexos, erros de roteiro e personagens sem personalidade, empobrecem a sua redação;
  • Dê profundidade para a narrativa: construa personagens bem elaborados, descreva com detalhes o enredo e caracterize bem o espaço;
  • Começo, meio e fim: respeite essa ordem e seja objetivo e claro ao escrever.

Vamos, então, para o modelo de Carta-argumentativa:
  • É escrita na primeira pessoa do singular, tem caráter mais pessoal e apresenta pontos de vista sobre o tema;
  • Tem um interlocutor definido e a interlocução deve ser trabalhada ao longo de todo o texto;
  • Tem como objetivo convencer o interlocutor, ou seja, deve-se utilizar a persuasão;
  • É desenvolvida a partir de argumentos que fundamentam o posicionamento defendido pelo remetente da carta;
  • Em geral, apresenta uma reclamação ou solicitação.

Gif (imagem com movimento), de uma pessoa assinando uma carta. Só aparece a mão da pessoa realizando o movimento da escrita e a parte inferior direita da folha.

Vamos, então, para o modelo de Carta-argumentativa:

  • É escrita na primeira pessoa do singular, tem caráter mais pessoal e apresenta pontos de vista sobre o tema;
  • Tem um interlocutor definido e a interlocução deve ser trabalhada ao longo de todo o texto;
  • Tem como objetivo convencer o interlocutor, ou seja, deve-se utilizar a persuasão;
  • É desenvolvida a partir de argumentos que fundamentam o posicionamento defendido pelo remetente da carta;
  • Em geral, apresenta uma reclamação ou solicitação.

Mas qual é a estrutura correta de uma Carta-argumentativa? Confira agora!

1 - CABEÇALHO:

Indica o local e a data da escrita. Exemplo: “Rio de Janeiro, 12 de agosto de 2019.”;

2 - SAUDAÇÃO INICIAL E VOCATIVO:

Introduz o destinatário da carta. Pronomes de tratamento devem ser utilizados de acordo com o grau de formalidade. Exemplo: “Prezados Senhores...”; "Caro Diretor...", "Querida professora...".

3 - CORPO TEXTUAL:

São apresentados os motivos e argumentos que levaram a carta a ser escrita e que mostram o posicionamento do autor sobre o tema.

  • No início da carta é interessante utilizar uma estrutura parecida com “Venho por meio desta...”, seguida do propósito do texto.
  • O discurso deve ser na primeira pessoa do singular e a linguagem da carta deve ser clara, objetiva e coesa para que os pontos de vista sejam entendidos com facilidade.
  • A parte final do texto deve conter sugestões de melhoria dos problemas debatidos e uma conclusão dos acontecimentos abordados.

4 - DESPEDIDA:

Deve seguir o mesmo grau de formalidade que foi apresentado ao longo de todo o texto. Alguns exemplos de expressão para despedida são: Atenciosamente, Cordialmente, Sem mais, Despeço-me, entre outras.

5 - ASSINATURA:

Indica o nome do remetente da carta. Porém, FIQUE ATENTO! Na redação da PUC você não deve assinar a carta com o seu nome verdadeiro, a fim de evitar qualquer identificação na hora da correção. Com isso, você deve usar um termo fictício, como, por exemplo, “RJ 123”. O ideal é que você evite usar qualquer nome, mesmo que não seja o seu, e opte por usar algo mais abstrato.

Por fim, em qualquer uma das propostas de modelo, terão alguns textos e exemplos motivacionais que NÃO PODEM ser copiados e usados na sua redação, devem servir somente de inspiração.

Gostou do artigo? Te ajudamos a saber como são as possíveis escritas da Redação da PUC-Rio? Sabemos que com prática, esforço e criatividade, você conseguirá um resultado incrível!

Se você estiver à procura de aulas particulares para ficar ainda mais preparado para a redação e questões desse vestibular, visite o site da Liber! Nossas aulas são online ou presenciais e os nossos Tutores te ajudarão a aprofundar e trabalhar melhor todas as técnicas citadas neste artigo, assim, você alcançará a tão sonhada nota máxima!

Escrito por 
Laura Cardoso

Baixe agora mesmo o App Liber!

Para baixar o App, clique no botão correspondente a loja de aplicativos do seu celular e veja como é fácil ter a ajuda que precisa!